sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Fuko-gô e En-Bu

Rodrigo Lúcio (MT), o rei do En-bu no Brasil

Ricardo Buzzi (PR), atual campeão brasileiro de fuko-gô.


Dentro do universo de competições do karate, além de kata e luta, individual ou por equipe, você pode ter ouvido falar de duas modalidades diferentes: fuko-gô e En-Bu.
Mas o que são afinal essas modalidades de competição?
Em primeiro lugar deve-se saber que tanto um quanto outro são encontrados exclusivamente no karate Tradicional (ITKF / CBKT).
O En-Bu é uma demonstração de dois karatecas, onde eles têm entre 55 segundos e um minuto e cinco segundos para apresentarem uma coreografia de luta. Há liberdade na escolha da coreografia, apesar de haver alguns golpes obrigatórios. No final da apresentação, os juízes dão notas. A melhor dupla, sagra-se campeã. O En-Bu pode ser masculino, misto ou feminino. O Brasil tem um título mundial de En-Bu misto, com Vladimir Zanca e Vilda Aparecida, ambos de Mato Grosso, que foram campeões em 2000, no Mundial da Itália. No âmbito nacional, o maior nome dessa modalidade é Rodrigo Lucio (MT), filho do sensei José Humberto. Rodrigo foi diversas vezes campeão brasileiro de En-Bu masculino e misto.
O fuko-gô é uma modalidade individual, que foi criada com o intuito de evitar que os atletas se especializassem só em kata, ou só em luta. Com o crescimento das competições, alguns atletas começaram a se especializar em kata de tal forma que eram grandes campeões sem jamais lutarem. Do outro lado dessa estória, lutadores que venciam competições de kumitê sem se preocupar tanto com a técnica e a forma corretas, que os treinos de kata proporcionam. Com isso, surgiu o fuko-gô.
Nessa modalidade, o atleta avança rodada após rodada, mesclando kata e luta. Em uma rodada ele faz kata contra outro atleta, ambos fazendo o mesmo kata – no caso o Ki Tei kata, criado exclusivamente para essa modalidade. Esse kata não pode ser feito na competição de kata individual ou por equipes: só no fuko-gô. O vencedor é anunciado na “bandeirada”, com os árbitros decidindo o melhor. Passando dessa rodada, ele vai para a próxima, que é luta. Se vencer, avança para a próxima fase (kata) e assim sucessivamente, até a grande final, que sempre, obrigatoriamente, é luta.
Elaine Golubics (SP), sagrou-se campeã mundial de fuko-gô em 1996, no Brasil, mesmo ano em que Ronaldier Nascimento (BA) foi medalha de prata.
No link abaixo, Ronaldier contra Roberto Pestana (RJ) na disputa semi-final do fuko-gô, apresentando o Ki Tei.
http://www.youtube.com/watch?v=0O0McvjIojs
Nesse link, a dupla que dominou o En-Bu misto por anos no Brasil, Rodrigo Lúcio e Vilda Aparecida Lúcio (MT).
http://www.youtube.com/watch?v=cBZ6VmHtgmQ
OSS.

Um comentário:

Caio disse...

valeu pela inforação! não sabia o q era En-Bu e Fuku-go.