domingo, 6 de julho de 2014

Lyoto Machida perde para Cris Weidman



Lyoto Machida foi derrotado por Cris Weidman na decisão unânime dos jurados. Mais do que isso, o campeão dominou o brasileiro durante toda a luta.
Surpreendendo a todos, que esperavam um Weidman focado em tentar levar a luta para o chão, o americano manteve o combate em pé, e partiu para a trocação com o carateca. Com uma guarda excelente, Weidman não deu chance para os chutes altos (mawashi geri) que vinham causando tanto estrago nos adversários. Lyoto viu todas as suas tentativas de chute alto parando na guarda do oponente. Ainda acertou alguns mawashi na linha de cintura, mas nada que abalasse o americano. As tentativas de deai (golpe de encontro) também não surtiram muito efeito, apesar dele conseguir encaixar um bom gyako tsuki (direto).
No final da luta, Machida mostrou que tem um espírito de luta imenso, e mesmo exausto e com o rosto muito machucado, partiu para cima tentando um nocaute – que ele sabia ser sua única chance de vencer a luta naquele momento. Infelizmente, apesar de estar visivelmente muito cansado, o campeão não baixou a guarda, e nenhum golpe de Machida teve algum efeito.
No final, resultado justíssimo. Pelo que vi, acho difícil alguém tirar o cinturão de Weidman tão cedo.
Agora, para Lyoto, resta voltar aos treinos e corrigir o que está errado, para voltar ainda melhor em uma categoria que ele tem tudo para obter sucesso. Após duas ou três boas vitórias, ele poderá se credenciar novamente para a disputa pelo cinturão.
De qualquer forma, dou os parabéns a Machida, que representou muito bem o karate e o Brasil, lutando de forma corajosa, e jamais desistindo. No final, foi aplaudido de pé por todos, e elogiado por Dana White.
OSS!

2 comentários:

Anderson Ferreira disse...

Olá, adorei o blog.
siga o nosso também :)

Ale Fernandes disse...

Lyoto perdeu algumas características que o tornaram um campeão. Ficou entre técnicas de MMA e algo do Karatê sendo que uma está impedindo a outra de fluir. A solução talves esteja nas origens, onde ele é melhor e voltar a bater pouco, com eficiência e apanhar quase nada. Ainda assim para todos nós é um exemplo de cortesia, técnica e esforço. Oss