segunda-feira, 1 de maio de 2017

Campeonato Brasileiro de karate-dô JKA 2017



Kata individual masculino

Kata equipe masculino - equipe SP


Kata equipes feminino


Equipe RS
Juliana Vitral (MG) e Jayme Sandall (RJ)

Kumite por equipes

Kata individual feminino


Kumite individual feminino
Kumite individual

Aconteceu, de 27 a 30 de abril de 2017, o XVIII Campeonato Brasileiro de Karate-dô JKA.
A belíssima cidade de Goiânia recebeu mais de 400 atletas de vários Estados do Brasil.

A organização da competição, a cargo da JKA-GO, foi impecável, resultando num dos melhores campeonatos brasileiros já realizados.

Estavam presentes grandes mestres como Yoshizo Machida, Ugo Arrigoni, Carlos Rocha, Kazuo Nagamine, Alfredo Aires, Ruy Koike, Gérson Almeida e Celso Kolesnikovas, entre outros.

O ponto alto da cerimônia de abertura foi a mensagem que o sensei Sasaki enviou, e que apareceu em um telão antes do início das disputas das categorias adultas. Mesmo lutando contra um câncer, a única preocupação do sensei Sasaki é a de que os atletas mantivessem vivo o budô do karate JKA, independente de competição. Emocionante...

Os melhores atletas do Brasil vieram a Goiás para lutarem pelos cobiçados títulos brasileiros em disputa.

Infelizmente, dois dos melhores atletas do Brasil, integrantes da Seleção Brasileira JKA, sofreram lesões graves. César Cabral (SP), teve uma luxação exposta do dedo do pé com ruptura total de tendão, durante o curso pré competição.
Diego Andrade (BA), torceu o joelho durante sua primeira luta por equipes.
Com certeza esses dois guerreiros vão se recuperar muito antes do esperado, e estarão de volta para defender as cores do Brasil.

FEMININO

Como sempre, as mulheres demonstraram técnica apurada e muita garra.
No kata por equipes, a hegemonia da equipe gaúcha parece não ter fim. Manuela Spessatto, Hannah Aires e Cristiane Babinski conquistaram o título pela quinta vez consecutiva - um recorde na JKA. O trabalho árduo que essas três atletas, que moram em cidades diferentes, fazem para poderem treinar juntas foi recompensado. Elas provam que quem realmente deseja algo não dá desculpas, mas sim passa por cima de qualquer dificuldade.

No kata individual, Manuela Spessatto (RS), também provou que fica cada vez mais difícil ser vencida nessa modalidade. Com seu Gojushiho sho imbatível, ela conquistou o título brasileiro pela sexta vez. Insuperável nessa modalidade no Brasil e na América do Sul nos últimos anos, e tendo sido a ocidental com melhor colocação no mundial de 2014, Manuela é a grande esperança brasileira para o mundial desse ano, na Irlanda, para ficar entre as oito melhores do mundo mais uma vez.
Manuela firma-se cada vez mais como a maior atleta da história da JKA do Brasil. Com os títulos de kata individual e por equipes desse ano, ela soma 19 títulos brasileiros. Um recorde entre homens e mulheres.

No kumite por equipes, a forte equipe de São Paulo conseguiu superar as gaúchas, campeãs de 2016, em uma disputa emocionante.

No kumite individual, a final de 2016 se repetiu: Manuela Spessatto (RS) de um lado, e Juliana Vitral (MG) do outro.
Para chegar à grande final, Manuela teve que passar pela experiente Martinna Rey (BA), integrante da Seleção Brasileira Tradicional há muitos anos, e atleta de excelente nível técnico tanto no kata quanto no kumite.
Na outra semi-final, Juliana Vitral enfrentou Cristiane Babinski (RS), uma das atletas que mais evoluiu nos últimos anos.
Esse ano, a mineira parecia disposta a não repetir a prata do ano passado. Mesmo tendo saído atrás no placar, ela mostrou muita garra e técnica, e empatou com seu infalível mae geri. Em seguida, saiu de uma sequência de Manuela, e contra-atacou de gyako zuki no tempo exato. A campeã sulamericana de kumite individual (2012) levou o título para o Estado de Minas Gerais.



MASCULINO

As chaves estavam lotadas, e a expectativa de grandes confrontos deixou o público de olhos vidrados nos koto.

No kata por equipes, São Paulo levou o título pela sétima vez seguida, um recorde histórico entre todas as categorias, masculinas e femininas. A técnica, vontade e amizade de Andrew Marques, Marcel Apolônio e Rodrigo Alves fazem com que sejam invencíveis. Fica a imensa esperança de que se classifiquem entre os oito melhores do mundo na Irlanda, e tragam uma medalha inédita nessa categoria.

No individual, um veterano com fôlego de garoto fez a festa da torcida local. Marcelo Kanashiro (GO), irmão do presidente da JKA-GO Mário Kanashiro, foi espetacular, e com um Unsu perfeito, levou o título.

No kumite por equipes, Goiás vinha impulsionada pela torcida. De um lado da chave, eliminou os gaúchos, atuais campeões, na semi. Do outro lado, São Paulo passava pela equipe do Rio de Janeiro.
Na grande final, cada luta era uma batalha. Não havia lutador mais fraco de nenhum lado. Eram cinco pedreiras, cinco grandes lutadores de cada lado. O título poderia ter ido para qualquer equipe, e a cada luta ficava a dúvida de quem venceria.
 Mas o ipon de André Azevedo (SP), ainda na primeira luta, fez a diferença. A estratégia de equipe de Sáo Paulo foi perfeita desde a primeira rodada, contra os fortes baianos, passando pela semi final contra o Rio de Janeiro, e na final. São Paulo grande campeã.


No kumite individual, cerca de 60 atletas disputavam o título.
De um lado da chave, o atual campeão, Jayme Sandall (RJ), não teve vida fácil em suas quatro lutas para chegar até a semi final contra seu grande amigo e companheiro de Seleção Brasileira Fábio Smões (SP). Foi a oitava vez que esses dois veteranos se enfrentaram. Jayme conseguiu impor melhor a sua estratégia e venceu Fabinho por 2x0
Do outro lado, o jovem Frank Manera (RS), chegou à semi contra seu conterrâneo Rafael Moreira, um dos líderes da Seleção Brasileira. Mostrando grande personalidade, vontade, velocidade e técnica, Frank surpreendeu a todos e venceu o favorito Rafael por 1x0

Na grande final, uma batalha de gerações, com o veterano Jayme, integrante da Seleção Brasileira desde 2002, e o jovem Frank, em sua primeira final de brasileiro.

A experiência falou mais alto, e apesar de uma luta dura e muito disputada, Sandall conseguiu encaixar melhor o seu jogo e venceu por 4x1 (luta final JKA, regra shobu sanbon)

Com essa vitória, Jayme fez história ao conquistar o título pela sexta vez, quinta vez consecutiva. Com esses cinco títulos seguidos (2013 a 2017), ele superou a lenda Chinzô Machida (PA) tanto em títulos consecutivos (Chinzô também tem 6 títulos, mas consecutivos conseguiu 4, entre 2004 e 2007), quanto em número de lutas invicto em brasileiros JKA (Chinzô ficou 28 lutas invicto. Jayme está há 37 lutas sem perder)

APOSENTADORIA
O multicampeão Fábio Simões anunciou que esse foi o último campeonato brasileiro que disputou na categoria individual.
"Equipe talvez eu ainda lute, se precisarem de mim", disse um dos maiores nomes do karate brasileiro de todos os tempos, em sua emocionante despedida.
Quis o destino que sua última luta no individual fosse contra o grande amigo e companheiro de Seleção Jayme Sandall (RJ). O mesmo Jayme contra quem Fabinho fez a final em 2003, quando conquistou o primeiro de seus três títulos brasileiros de kumite individual. Dessa forma os dois encerraram uma das mais bonitas e importantes rivalidades do karate brasileiro, com 8 lutas e 3 finais de campeonatos brasileiros JKA (2003, 2011 e 2013)
Com a aposentadoria de Fabinho, uma era termina. Um dos maiores campeões de todos os tempos, o paulista é o terceiro maior vencedor da JKA na categoria kumite individual, com 3 títulos (2003, 2009 e 2011), e maior medalhista dessa categoria, juntamente com Jayme Sandall (cada um tem 11 medalhas de kumite individual em brasileiros JKA)

O campeonato mundial da Irlanda, em agosto desse ano, será a última competição de Fabinho pela Seleção Brasileira. Que venha o título!

A grande certeza após as competições infantis e adultas, foi que a Seleção Brasileira saiu muito reforçada. A qualidade do karate JKA brasileiro melhora a cada ano, e isso vai se traduzir no mundial.

Até agosto, na Irlanda!

OSS!



RESULTADOS

FEMININO

- Kata por equipes: 1) RS / 2) BA / 3) SP

- Kata individual: 1) Manuela Spessatto (RS) / 2) Juliana Vitral (MG) / 3) Letícia Aragão (BA) / 4) Martinna Rey (BA)

- Kumite por equipes: 1) SP / 2) RS / 3) BA

- Kumite individual: 1) Juliana Vitral (MG) / 2) Manuela Spessatto (RS) / 3) Martinna Rey (BA) - 3) Cristiane Babinski (RS)


MASCULINO

Kata por equipes: 1) SP / 2) PA / 3) BA

Kata individual: 1) Marcelo Kanashiro (GO) / 2) Leão Mazur (BA)  / 3) Marcel Raimo (SP) / 4) Fernando Macedo (MG)

Kumite por equipes: 1) SP / 2) GO / 3) RJ - 3) RS

Kumite individual: 1) Jayme Sandall (RJ) / 2) Frank Manera (RS) / 3) Rafael Moreira (RS) - 3) Fábio Simões (SP)

6 comentários:

Bruno Prestes disse...

Ótimo artigo sobre o campeonato.

Ossu!

flavia disse...

Lindo texto sobre o campeonato. Apenas uma correção o kata equipe PA foi segundo e não Bahia

Unknown disse...

Muito bacana o artigo. Oss!

Jayme Sandall disse...

Vou corrigir agora. Muito obrigado!

Unknown disse...

Jayme, o que você acha da CKIB? Porque a CKIB e a JKA não estão juntas?

Jayme Sandall disse...

Não conheço quase nada da interestilos.... Mas em Goiás a interestilos participou , até porque o presidente da jka-Goiás é da interestilos
Os atletas deles que competiram na jka achei muito bons!