quinta-feira, 8 de março de 2018

Vitor Belfort vs Lyoto Machida


Está confirmado: Vitor Belfort fará sua despedida do mma na luta contra o conterrâneo Lyoto Machida, no UFC 224, a ser realizado dia 12 de maio, no Rio de Janeiro.
E agora? O que esperar desse duelo?

De um lado, temos o veterano Belfort, um dos pioneiros do mma, um atleta com DNA do Carson Gracie, oriundo do jiu jitsu, mas que treinou muito karate Shotokan nos últimos anos. Iniciou seus treinos em 2001, e após uma pausa retornou ao karate em 2008, pelas mãos do mestre Vinicio Antony. Desde então, treinou muito Shotokan. Foram três anos de treinos regulares, pelo menos três vezes por semana (2008 a 2010). Depois da mudança de Vitor para os Estados Unidos, os treinos de Shotokan se restringiram aos campings (concetração nos três meses que antecedem uma luta), até 2015 (a última vez em que ele treinou Shotokan para uma luta foi no combate contra Dan Henderson, em 2015, quando conquistou a vitória e o prêmio de nocaute da noite com um belo mawashi geri)

Do outro lado, temos um também veterano, embora tenha ingressado no mma bem depois de Belfort (Vitor começou a lutar mma em 1996, enquanto Lyoto só estreou em 2003).
Oriundo do karate Shotokan, Lyoto é filho do técnico da Seleção Brasileira JKA, sensei Yoshizo Machida, e irmão do maior campeão da história do karate Tradicional e JKA brasileiro, Chinzô Machida (11 vezes campeão brasileiro de luta individual, vice-campeão mundial JKA em 2006) e do também casca-grossa e integrante da Seleção Brasileira entre 2008 e 2011, Take Machida (campeão brasileiro de luta individual em 2009. Vice-campeão mundial por equipes em 2011)
Lyoto foi um dos maiores atletas de karate de sua geração, mesmo tendo competido pouco (1998 a 2001). Nesse curto período foi campeão brasileiro Tradicional de kata, fuku-go (modalidade que mistura kata e kumite) e kumite individual. Na JKA, foi campeão brasileiro de kata e kumite. Foi ainda campeão panamericano de luta individual, e representou a Seleção Brasileira Tradicional em um panamericano e um mundial, e a Seleção Brasileira JKA em um mundial.

No início de sua carreira, Machida se diferenciava dos outros exatamente por causa de seu jogo, seu estilo de luta. Foi a primeira vez que um atleta de elite do Shotokan Tradicional se aventurou no mma internacional (aqui no Brasil, o multi-campeão Paulo Afonso já havia feito 7 lutas de vale-tudo, com seis vitórias e uma derrota. Infelizmente na época não houve muita repercussão e ele não conseguiu uma carrerira internacional). Lyoto lutava karate, o mesmo Shotokan que usava nas competições.

Infelizmente, com o passar dos anos, ele foi treinando cada vez menos o Shotokan que o consagrou, e passou a dar muito mais atenção ao boxe e ao muai thai, lutas muito mais comuns nos treinos de mma.

O boxe e o muai thai são lutas excepcionais. Mas creio que para um karateca com o DNA de Lyoto, esses treinos acabaram mudando muito seu jogo, e tirando dele o seu grande trunfo - o tempo e a distância do Shotokan.
Com isso, começamos a ver um Lyoto que não funcionava tão bem, com um deai que não causava mais tanto estrago, e com a parte defensiva pior, sendo atingido de forma que não era anos antes.

Em sua última luta, a vitória por decisão dividida contra Erik Anders, Lyoto recorreu ao mestre Vinicio Antony, ícone do karate na década de noventa e integrante da Seleção Brasileira Tradicional de 1991 a 1998. Vinicio percebeu exatamente esse erro no jogo de Lyoto: faltava treinar a luta-mãe, a sua base: karate Shotokan.
Vinicio então deu total ênfase aos treinamentos de fundamentos (lapidar os golpes), aos tempo e à distância.

Na luta contra Anders já vimos um Lyoto diferente. Não foi a luta dos sonhos, mas vimos um Machida com a guarda melhor, uma postura mais correta e uma noção melhor de distância. Não se expôs como em suas derrotas para Yoel Romero, Luke Rockhold e Derek Brunson.


Enfim, de um lado temos um Belfort que treinou muitos anos o karate, e que me confidenciou mais de uma vez: "para mim, o karate Shotokan é a melhor luta de trocação para o mma. Porque você luta mais longe, não se expõe, e tenta nocautear com um só golpe"
Do outro temos um karateca que se afastou do Shotokan, e que agora volta aos treinos. Em conversa comigio, ele disse: "estou voltando às raízes"

Quem sairá vencedor desse duelo de veteranos, e por que não dizer, duelo de karatecas?

OSS!

Um comentário:

José Castro disse...

......karate shotokan de raiz, luta inteligente.....JKA tenta manter essa raiz....torcendo para que Lioto Machida mostre algo ainda melhor, retornar à eficácia de Ipon, demora algum tempo....#OSU