segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Brasil é vice-campeão mundial JKA!

O palco das finais



A Seleção treinando na praia de Pattaya

A equipe de kata


As eliminatórias. Eram 48 países e quase 1000 atletas.

Parece notícia antiga, falando da conquista histórica de Chinzô Machida no Mundial JKA da Austrália, em 2006, quando ele ficou com a prata no kumite individual. Mas é notícia nova mesmo, saindo do forno, direto da Tailândia, de onde cheguei agora há pouco.

Dessa vez o Brasil conquistou a prata no kumite por equipes, confirmando ao mundo a capacidade de seus lutadores.

Se eu tivesse que escolher apenas uma palavra para definir essa conquista, ela seria UNIÃO.
Para mim, isso começou a ser comprovado no exato instante em que me vi sem minha bagagem, extraviada na África do Sul. Meus quimonos, minha faixa, luvas, protetor de boca, além de todas as minha roupas, tudo desaparecido. E imediatamente a delegação inteira do Brasil se prontificou a nos ajudar (Chinzô estava na mesma situação), emprestando quimono, faixa, luvas, e até oferecendo roupas e dinheiro. Não que eu pudesse esperar qualquer coisa diferente desse grupo, mas mesmo assim emociona.

Enfim, dois dias depois nossas malas chegaram, problema resolvido.

Desde o início, a equipe de kumite estava fechada, unida, com a cabeça no objetivo comum de sermos campeões. Ninguém pensava em si próprio, e todos se puseram à disposição dos técnicos para lutar em qualquer posição, ou ficar na reserva. Aliás, nessa equipe não existiu reserva. Todos foram titulares, desde o começo.

Nas eliminatórias, disputas acirradas contra a forte África do Sul (4x0), Nova Zelândia (4x1) e principalmente Estados Unidos, onde a atuação fantástica de Take Machida foi determinante (empatamos em 2x2 e o Brasil venceu pela vantagem de um wazari). Estávamos na semi-final, que só seria realizada no dia seguinte.

O kata por equipes, com Chinzô Machida, Rousimar Neves e Fernando Macêdo, também se classificou para a grande final, com um en-pi que só ficou abaixo do Japão. Isso por si só já seria um feito digno de todos os méritos. Mais ainda porque Chinzô teve que entrar às pressas na equipe, substituindo Bernardo Marinho. O trio teve menos de uma semana para treinar, e se classificou entre os finalistas!

No kata individual, tanto homens quanto mulheres pararam nas eliminatórias, com destaque para Manuela Spessato e Rousimar Neves, que pararam apenas na última rodada antes dos "Best Eight". Manuela ainda chegaria perto do Best Eight no kumite, mas uma japonesa barrou seu caminho.

No kumite individual masculino, atuações à altura de um Brasil que classificou dois atletas entre os oito melhores em 2006 (Rafael Moreira e Chinzô). Infelizmente, dessa vez nenhum conseguiu chegar aos Best Eight, mas TODOS os 4 perderam para atletas que chegaram entre os oito melhores do mundo.

Restava às equipes de kata e kumite masculino se prepararem para o dia seguinte.
Sobre o tablado suspenso, o kotô único, iluminado dentro do ginásio escuro, os brasileiros tentariam escrever o nome do nosso país na história.

No kata, infelizmente o Sochin que estava tão bom nos brevíssimos treinos, não saiu como o desejado na hora "H", e devido a alguns desencontros, a medalha escapou por pouco. Sétimo lugar, para uma equipe que teve muito pouco ou quase nada de tempo para treinar.

Era a hora do kumite por equipes, a modalidade final.

Se nas eliminatórias a confiança dos membros da equipe era total, a união agora era visível de fora. Todos os adversários podiam sentir a energia que emanava do grupo, e o grito de "Brasil!" antes de entrarmos, arrepiava.

Primeira semi-final: Brasil vs Canadá. Vencemos por 3x1, e a tão sonhada final estava diante de nós. Na outra semi, Japão cravou 5x0 contra a Noruega, que mais tarde, na disputa do bronze, perdeu por 4x1 dos canadenses.

Brasil vs Japão, na grande final. Parecia roteiro de filme. Só faltava o final feliz.

E foi.

Foi um final feliz para ninguém botar defeito.

Perdemos? Sim, perdemos, mas isso é detalhe. TODOS os lutadores partiram para dentro, tentaram vencer, não se intimidando nem um momento pelos poderosos japoneses. Foi lindo ver Nemoto correndo do Rafael na luta final e o Diego abrindo a série mergulhando para cima do japonês que tinha acabado de sagrar-se campeão individual.
O baiano Diego Andrade, inclusive, foi elogiado pelo britânico Richard Heselton após a final. "Great fight", disse o Monstro, após a cerimônia de premiação.


Quanto orgulho fazer parte dessa equipe, essa família que fez bonito e conseguiu impôr respeito para cima dos japoneses.
A prata teve gostinho de ouro...

A equipe vice-campeã mundial:

Sasaki, Machida, Alfredo Aires, Gérson Almeida, Celso Kolesnikovas, Chinzô Machida, Rousimar Neves, Fernando Macêdo, Hannah Aires, Manuela Spessatto, Wagner Pereira, Jayme Sandall, Takehiko Machida, Alison Batista, Diego Andrade, Leonardo Kolesnikovas, Bruno Assis (medalha de bronze no kumite individual 15 anos),Victor Domingues e Ian Machado.

Todos, além da torcida, empurraram os cinco que estava lá em cima, lutando. Todos, juntos, foram responsáveis pela prata.

Em breve colocarei mais fotos do evento, além dos resultados completos. Muitas outras fotos também entrarão na página "Seleção Brasileira".
OSS!!

8 comentários:

Renato Fenili disse...

Estou muito orgulhoso de vcs, e feliz demais por vc, Jayme. Parabéns é pouco para dizer nesse momento. Espero, no futuro, ter a honra de treinar com vc novamente. OSSS!!!

Ronald disse...

É aquela coisa, nada acontece por acaso. E tudo o que vem acontecendo com você é resultado da sua extraordinária dedicação e esforço pessoal. Nada mais justo! Sempre soube que o seu momento chegaria (lembra daquela nossa conversa sobre quando vc chegasse aos 30?).

O resultado foi da equipe. Mas o sucesso só foi possível pela soma dos esforços individuais. Não sei dos demais, mas se forem assim como você, ajuda a entender porque chegaram lá.

Enfim, curta, comemore e aproveite. Esse é o seu momento. E que venham outros!

Oss!

Marco disse...

Parabens a todos pela conquista. Oss

Markim - Ribeirão Preto - S.P.

Janeide disse...

Este resultado foi fruto da sua busca por essa conquista.Porem o sucesso só foi alcancado pelos esforços feitos por vc, pois aproveitar a juventude é tambem ter sabedoria para viver de tudo um pouco e isso vc faz melhor do que ninguem.
O momento agora é de comemorar Diegao, pois este merito e seu!!!Parabens
Beijo Grande!!!
Bahia

Jayme Sandall disse...

Obrigado a todos pela torcida de sempre...
Grande Roni, sempre ajudando, sempre fazendo força positiva. Te espero para treinar no Brasil...Grande abraço, OSS!!

Marcos Piolla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos Piolla disse...

Boa, Jayme! Parabéns ao Brasil, à equipe, ao esforço e, sobretudo, ao Karate! Orgulho! OSS!!

Marcos Roberto disse...

Parabéns, parabéns isso é para nosso orgulho, o Brasil é dono do melhor karatê do mundo fora do Japão.