domingo, 30 de dezembro de 2012

Karate é kata?


Outro dia conversava com um ex-atleta, faixa preta das antigas, um karateca com alto nível técnico.
Ele me disse uma frase que me intrigou: "karate é kata"
Para ele, a essência do karate Shotokan, o ponto mais importante, seriam os katas.
Pensei muito sobre o assunto, e vou dar minha opinião pessoal aqui.

Kata é importante. Aliás, importantíssimo. É a perfeição técnica do karate, é onde você treina a arte marcial em sua forma mais pura.
Eu adoro treinar kata, e o faço pelo menos duas vezes por semana. Se não consigo obter resultados mais expressivos nas competições, não é por conta de desinteresse ou falta de treino, mas incapacidade de vencer pessoas que fazem kata bem melhor do que eu, como Rodrigo Lúcio (MT), Ronaldier Rodrigues (AL) ou Rousimar Neves (MG).
O mesmo para kihon. Uma das partes mais importantes do meu treinamento de atleta é o kihon, a repetição de determinadas técnicas inúmeras vezes com o intuito de aprimorar, chegando o mais perto possível da perfeição.
Mas o karate, antes de mais nada, é uma arte marciel em sua essência. É uma luta.
Então, mais importante do que tudo é o kumite. Não o shiai (competição), mas sim o jyu kumite (luta livre).
O próprio sensei Funakoshi dizia que todos os treinamentos de karate (kata, kihon, kihon ipon, etc), tinham como objetivo final o kumite.

Discordo do faixa preta que disse que karate é kata. Para mim, karate é luta. Antes de mais nada.
Até acho aceitável um faixa preta não ter um kihon perfeito, ou fazer os katas de forma não tão boa. Mas um faixa preta tem que saber lutar. É sua obrigação, o requisito mínimo de um faixa preta.
Infelizmente vejo outros professores que também pensam assim: karate é kata. Então criam uma geração de karatecas que não sabem lutar. Karatecas que se tomarem um soco na cara ou um golpe forte no corpo, vão ficar assustados, apavorados, e vão achar um absurdo.
Absurdo é um graduado não saber lutar - ou pior ainda, não querer.
Absurdo é um faixa preta que não tem noção de tempo e distância, que não sabe usar o kime em uma situação de combate, que não sabe levar pancada.

Vejo muitos professores que concordam com essa linha de pensamento. Gente muito boa, que mostra dentro do tatame o que é karate. Professores cujos alunos - independente de resultados em competições -, são grandes lutadores. Gente que pensa: karate é luta.

OSS!

17 comentários:

Alvaro José Ferreira Cruz Cruz disse...


Aprendi humildemente com meus mestres, ao longo de 42 anos de treinamentos que, Karate não é apenas luta e sim kata e jyu-kumite.

Marcos Piolla disse...

Jayme, ambos estão certos.

Dizem que Karate é Kata, mas esquecem que kata é luta!

Treinar a forma solo não é suficiente. É preciso fazê-lo em duplas e em grupo.

Só assim o kata é vivo e traz vida ao Karate!

OSS!

Jayme Sandall disse...

Perfeito, Marquinhos. OSS!

Katsumoto's Karate do disse...

Concordo em parte.
Vc ainda é bastante jovem e esta na fase da competicao..de lutar e querer vencer tudo...porem, chegara a hora em que vera porque alguns Mestres acham que Kata é Karate. Apos os 50m as coisas mudam drasticamente, principalmente porque o corpo comeca a declinar....o tempo dira....

Jayme Sandall disse...

Grande Roberto! Pode ser, eu sei que posso mudar de opinião, mas veja, eu adoro treinar kata, e acho que é parte importantíssima do karate, até porque lapida o próprio kumite. Mas realmente acredito que karate é luta; não luta de competição, mas luta no sentido amplo da palavra. Um praticante tem que saber lutar, e ter noções de tempo, distância, kime, espírito de luta.
É como o Marquinhos disse: kata deve ser treinado como luta, as técnicas contidas nos katas devem ser utilizadas (cotoveladas, joelhadas, socos cruzados e em gancho, torções e chaves, etc...)

Grande abraço, OSS!

Alvaro José Ferreira Cruz Cruz disse...


Permitam-me complementar dizendo que katas sempre devem ser treinados/praticados como se, todas as vezes, estivéssemos diante de alguém imaginário.
Desta forma passa a ter outro sentido.

Jayme Sandall disse...

É verdade, Álvaro, eu particularmente tento sempre fazer os katas com isso em mente. OSS!

Willians disse...

"Absurdo é um graduado não saber lutar - ou pior ainda, não querer."

Faço minhas as suas palavras. Karate acima de tudo é uma luta e foi criada para tal.

OSS!

Roberto Pestana Jr. disse...

Antes de mais nada, declaro aqui fazer parte deste grupo que defende a ideia que "Kata é Karate!"
Bom, aqui vai o meu "pitaco":
Se kata é luta, quem diz que karate é kata, tb está dizendo que karate é luta, certo?
Na minha opinião não trata-se do melhor caminho ou escolha, kata ou kumite. O faixa preta não é faixa preta pq domina a técnica de kumite. Elé é faixa preta pq domina as técnicas de karate: kihon, kata e consequentemente as aplicações das mesmas no kumite. Se fôssemos generalizar que o karate é luta, com a chegada da idade, quando não conseguiremos mais lutar ou sermos eficientes, deveríamos então perder a faixa preta? O faixa preta Sensei deverá saber formar o seu aluno para que este faça o mesmo, assim perpetuando a arte do karate. Concordo com o Katsumoto´s quando disse que vc ainda é jovem. Vc e eu sabemos que existem faixas pretas e FAIXAS PRETAS. Vc já viu Nakayama lutando? Mas conhece vários que ele ensinou a lutar, certo? Vc ta,bém viu junto comigo em 2004 no Japão, o respeito diferenciado pelos atletas que competem kata. Fique tranquilo, o tempo ajusta as coisas.
OSS...
Pestana

Adriana disse...

Eu acho que consigo entender quem diz que com o tempo se perde a capacidade fisica de se lutar , mas concordo com o jayme , acho que o que ele quer dizer é que estão sendo formados muitos faixas pretas somente pq fazem kata bem e acho que sim , um faixa preta deve fazer kata no minimo bem , mas acima de tudo um faixa preta tem que se garantir em situações e eu acho que o que lhe da essa garantia é o treinamento de jyu kumite , claro que isso pensando num atleta jovem . Penso que um karateca faixa preta deve saber fazer bem kata , kihon , kumite , etc mas acima de tudo ele deve se garantir e acreditar no que faz e acho que o que mais ajuda pra isso é o jyu kumite , onde voce coloca seus golpes e defesas em prova .
OBS: acho que isso serve também para o atleta que só é bom e treina somente shiai , shiai sim é uma luta , mas não adianta ser bom de shiai e não se garantir .

Adriana disse...

OBS 2 : estou usando o nome da minha mãe pq ja estava aqui , mas sou homem , tenho 17 anos e sou recém formado faixa preta (fiz exame em dezembro de 2012)

Jayme Sandall disse...

Quando a idade chega, se perde o vigor físico, a resistência, a velocidade. Mas a visão de luta, o tempo e distância, jamais se perdem.
O boxe, o muay thay, o jiu jitsu são artes marciais que primam pelo combate. E nem por isso um mestre, quando a idade chega, perde seu valor ou deixa de ser um lutador.
Para mim, o karate muitas vezes segue por caminhos equivocados quando dá pouco espaço para a luta e prima muito mais pelo kata, esquecendo-se inclusive das aplicações reais e incríveis que existem nele.
Para mim, insisto, karate não é kata. Karate é luta.
OSS

Roberto Pestana Jr. disse...

Entendo perfeitamente o seu "momento", treinando karate "jutsu". Por isso não generalize "karate", pois aí sim vc estará cometendo um grande equívoco. O karate que vc é graduado 4º dan (JKA) é Karate-do Shotokan, e segue os preceitos do seu fundador, Funakoshi. Em seu túmulo está escrito: "Karate ni sente nashi" - Não há primeiro ataque ataque.. Pra encerrar minha participação nesse tema eu diria: Aquele que domina as técnicas de kihon e kata e suas devidas aplicações, seguramente é um faixa preta de karate. Já, aquele que domina a técnica de luta é apenas um lutador. Jon Jones é um tremendo lutador, mas apenas isso, ele não é faixa preta de karate. Lyoto Machida sim, é um lutador e também faixa preta de karate-do. Agora, o "Joãozinho da padaria" também é um faixa preta de karate-do, pois ensina karate e domina todas as técnicas da arte. Apenas não possui as características de um lutador. Por isso ele apenas ensina.
Chega! rsrsrsrs
OSS...

pintokaratedojo disse...

Eu faço parte do grupo que acredita que o kata é luta, mesmo adorando treinar kumite ( desde o fundamento até a prática). Mas antes de se falar em kata e kumite, devemos lembrar que essas aplicações que inventaram para passar em exames de faixa, não chegam a ser 10% da realidade do kata( na minha opinião).
Treinar kata da forma que somos acostumados dentro do dojo, do primeiro ao último movimento ou somente as partes que estão fracas somente para lapidar o kata para o exame ou competição, na minha opinião não é treino para quem quer aprender o goshinjutsu do karate. Devemos lembrar também que karate não é luta de ringue,competição ou recreação. Karate foi desenvolvido para defesa pessoal, seu objetivo é livrar-se o mais rápido e da forma mais eficiente o possível de um agressor. Isso pode ser feito o colocando fora de ação ou conseguindo um brecha na situação para cair fora sem sofre danos ou pelo menos o mínimo o possível. Na minha visão, treinar kata é treinar bunkai de forma eficiente e lúcida, sem invenções e sem achar que o "inimigo imaginário" irá desistir de atacar depois que vc apenas defender o golpe. Para mim bunkai deve funcionar dos dois lados, deve ser eficiente não somente contra golpes de karate, mas também contra golpes de leigos e outras artes marciais. Infelizmente o trabalho para quem gosta de treinar kata nesses moldes requer muito trabalho, o que na minha opinião é o motivo que mais afugenta a maioria dos praticantes que desejam resultados rápidos para a proxima competição ou exame. Devido ao pouco ou fantasioso material que temos sobre aplicações dos kata do shotookan, o trabalho de pesquisa ou até a prática de outra modalidade ( judo ou jiu jitsu por exemplo) é necessário para preencher as lacunas que existem nos bunkai.
Resumindo minha opinião, KARATE É KATA , E KATA É GOSHIJUTSU. Se começarmos a praticar o kata bunkai, o destrinchando em pequenas partes tal como fazemos com o kihon, transformando em kihon ippon/sanbo/gohon kumite, os resultados serão melhores. Acredito que não irá contribuir muito para competições de koto ou ringue, mas irá ensinar aos praticantes o que fazer com o seu cotovelo/joelho quando em uma situação de defesa pessoal o agressor estiver a meio braço de distancia.

Minha opinião baseado em que aprendi e apredo sobre karate. Longe d~e mim querer impor verdades absolutas.
Oss!

Jayme Sandall disse...

Pinto san, a sua visão é bem próxima da minha. Kata dessa forma como você coloca, principalmente se extraindo suas partes e aplicando em bunkai de forma real, sem fantasias, nada mais é do que luta. É esse o sentido da minha postagem. Na verdade eu quis dizer luta não no sentido de shiai ou jyu kumite, mas no sentido amplo da palavra, ou seja: luta por se tratar de confronto. E essa luta pode bem ser feita dentro de um kata. Aí sim, kata vira luta, como bem dise o Marcos Piolla.
OSS!

Heiny Sugahara disse...

Na minha humilde opinião, karatê é luta. Independente da idade ou condição física, se treina caratê acima de tudo para para a vida. Kata, assim como, kihon e kumite são ferramentas para o aprimoramento e aprendizado da arte. Estas ferramentas visam a "lapidação" da arte marcial e todas elas convergem para a luta.

renato neves disse...

POR ISSO QUE MUITOS KARATECAS QUANDO PRECISAM SE DEFENDER NA RUA TOMAM UMA COÇA. KARATE É PORRADA, QUEM TREINOU NA TAKUDAI SABE DISSO.