domingo, 28 de junho de 2015

Lyoto Machida derrotado por Yoel Romero

Não deu...
Mais uma vez (a terceira em quatro lutas), Lyoto Machida saiu derrotado do octógono mais famoso do mundo.
Dessa vez, ele enfrentou um oponente extremamente perigoso, que em minha opinião tem tudo para disputar o cinturão em pouco tempo.
O cubano foi melhor desde o início, e não deu muitas chances para o karateca. No primeiro round os dois se estudaram, sem tentar nada muito contundente. No segundo, Romero foi melhor, partindo para cima e levando perigo com algumas sequências de socos. No terceiro round, depois de encaixar bons golpes que abalaram Lyoto, ele derrubou. No chão, o brasileiro não teve a menor chance: levou uma sequência de cotoveladas muito fortes, que o puseram a nocaute.

Antes da luta, Lyoto deu uma entrevista. Perguntado se não estava voltando a lutar rápido demais, ele respondeu que não, que queria exatamente apagar logo a impressão ruim que deixou na última luta.
Na minha opinião, isso foi um erro.
Para apagar a impressão ruim da última luta, acho que ele deveria ter repensado seus treinos, sua estratégia, e, principalmente, ter escolhido um adversário um pouco menos complicado. Sei que é ruim negar luta, mas ele poderia ter alegado que estava muito em cima, que ele precisava de mais tempo. Por mais que Dana ficasse irritado com isso, nada seria pior do que mais uma derrota, ainda mais da forma que aconteceu.

Agora, acredito que ele deveria fazer exatamente isso: pensar com calma em seus treinos, rever seus conceitos, olhar para trás...
O fato é que Lyoto tem lutado de forma muito diferente do jeito que lutava alguns anos atrás. Desde a derrota para Jon Jones (luta em que ele teve um desempenho excelente!), tive a impressão de que ele começou a mudar. Começou a se mostrar um Lyoto diferente, mais receoso de usar seu karate...
Pode ser que eu esteja errado, mas a impressão é que ele não está mais treinando da mesma forma que antes.
Vi uma reportagem grande com ele antes da luta contra Cris Weidman. Em Los Angeles, mostraram a rotina de treinos dele. Vi que ele treinava jiu jitsu, wrestling, muay thay... mas nada de karate.
Sem perceber, ele passou a treinar o que chamo de "pacote de MMA": jiu jitsu, wrestling e muay thay. Com isso, ele passou a ser só mais um, e deixou de lado o seu grande diferencial: o karate.
É claro que acho que ele deve treinar um pouco de tudo. Claro que o jiu jitsu e o wrestling são essenciais, e claro que o muay thay tem muito a acrescentar ao seu jogo. Mas e os treinos de karate?

Ronda Rousey tem mostrado ao mundo que  "pacote" é muito útil, mas que jamais deve-se esquecer ou perder suas origens. Tem mostrado que o judo (sua luta de origem) é, sim, muitíssimo eficaz no MMA. E esse é um dos grandes diferenciais dela - suas quedas que abalam as adversárias.


Torço para que ele volte às origens: acredite e ouça seu treinador, Chinzô Machida, e chame pessoas que já trabalharam com ele como Paulo Afonso, e o sensei Watanabe. Na minha opinião, esse é o caminho para retornar às vitórias tão impressionantes que fizeram com que o brasileiro se tornasse um dos maiores lutadores do mundo.

OSS!

5 comentários:

Ronald disse...

Perfeito! Tive exatamente a mesma impressão. Essa mudança está tão evidente, que já havia comentado com amigos que ele seria derrotado exatamente como foi (não precisa ser gênio, os últimos desempenhos apontavam para isso). Pra piorar, o seu desempenho no chão tem sido sofrível (mesmo treinando, em teoria, com a nata do jiu-jitsu). Em pé, lamentavelmente, também ficou longe do costumava ser. É como você disse muito bem, a Rhonda, continua desempenhando cada vez melhor sem abandonar sua raiz, que é o seu diferencial competitivo (e olha que ela complementa seus treinos com a mesma rapaziada do Lyoto!). Acho que ele faria melhor se fizesse exatamente o mesmo. Vamos ver numa próxima (se o Mr. White deixar).

Futebol & Futebol disse...

Mestre Jayme,

Como sempre tem uma posição diferenciada e honesta.
Temos sempre que crescer, nos desenvolver, mas sempre acompanhados de nossa essência, do que nos trouxe até aqui, independente de nossa posição.

Nelson Henrique Possídio disse...

Caro Jayme,

Perfeito! Concordo plenamente! So que tem mais um fator importante? Lyoto esta muito magro nessa categoria, sem punch! Acerta golpes limpos nos rostos dos oponentes, que parecem nao sentir! Isto esta dificultando bastante o desempenho! Talvez Lyoto tenha ossos pesados e nao consiga ficar tao forte quanto os outros oponentes, apesar de bater o mesmo peso. Observe a diferenca fisica em comparacao com Romero, Rockhold, Jacare, Weidman... Lyoto aparente estar numa categoria abaixo... Na categoria de cima os caras estao muito grandes! Parecem pesos-pesados! Entao to achado complicado! O que vc acha a respeito disso? Desculpa pelos erros de pontuacao, meu teclado esta com problemas!

Wilson Corleto disse...

Perfeito post Jayme. Estava conversando com um amigo Sábado passado exatamente sobre isso. Acho que o Lyoto tem deixado cada vez mais o seu Karate de lado. Acho desde da primeira luta contra o Shogun, da qual vence e saiu vaiado, ele tem mudado muito e estilo que o consagrou. O Lyoto treinou a vida toda Karate, é o background dele, como ele mesmo já falou. Acho que ele deve voltar as origens mesmo e usar o karate que está enraizado dentro da família Machida. Não sou um grande fan de UFC, comecei a gostar por causas das lutadores como o Lyoto, Georges St. Pierre e mais recente a Ronda que provam a eficacia de artes marciais que não são tão usadas no UFC. Espero que de tudo certo com o Lyoto daqui pra frente.
Parabéns pelo blog.

Jayme Sandall disse...

Obrigado pelos comentários, amigos! OSS!