terça-feira, 13 de outubro de 2009

KATA: O QUE É E PARA QUE SERVE?

Kazuaki Kurihara (JPN), o atual campeão mundial de kata individual da JKA (Sydney 2006). Na foto, ele faz o kata So Chin ("paz inabalável" ou "espírito inabalável")
Katas são conjuntos de formas do karate Shotokan unidas em sequências pré-definidas. Os katas têm nomes que indicam suas finalidades. Têm começo, meio e fim, com locais definidos de kiais (gritos), geralmente dois – com exceção do Ki Tei (kata exclusivo do karate Tradicional, utilizado na modalidade fuko-gô, onde os atletas fazem hora o Ki Tei kata, hora lutam, avançando até a final, que é sempre luta) que possui três, e do Wan Kan, que tem apenas um kiai, no movimento final.
Para um leigo, ou um lutador de outra arte, fica a pergunta: para que serve perder tempo treinando kata?
Os katas são excelentes instrumentos de treino para se aprimorar, lapidar, purificar a técnica do Shotokan; são fantásticos para o treino físico, pois é muito difícil explodir do nada, partindo de uma base baixa, certinha, para o movimento seguinte; são fundamentais para o treino de kime (contração), potencializando a força dos golpes; servem como treino do espírito, pois o praticante “luta” contra vários adversários imaginários.
Contudo, não posso deixar de dar minha opinião sincera: por mais importantes que os katas sejam, por esses fatores que escrevi acima, e muitos outros dos quais não tenho ainda capacidade técnica para comentar, o mais importante para um praticante de Shotokan é o kumite (luta).
No meu entendimento de apaixonado e atleta, a prática do kumite, seja na forma de shiai (luta por pontos), ou jyu (luta livre) deve ser prioridade nos treinamentos do dia a dia. Isso não quer dizer em hipótese nenhuma deixar de lado o treinamento de kata, mas sim dar mais espaço para o kumite.
Outro ponto: acredito que deveria se treinar mais a aplicação dos katas. Por um lado, isso estimularia as pessoas a quererem fazer ainda melhor os seus katas, visualizando as situações reais, e não apenas repetindo a sequência que decoraram. Por outro lado, é dentro dos katas que está a parte de defesa pessoal, de golpes traumáticos e contundentes, voltados para a vida real, e não para competições. Ora, em competições temos como golpes principais: kyzami (jeb), gyako (direto), oi tsuki (soco andando), ura ken (soco com as costas da mão), mae geri (chute reto), mawashi geri (chute em meia-lua), ura mawashi (meia-lua invertida), ashi barai (banda) e ushiro geri (chute rodado, de costas). Já nos katas, além desses golpes, temos cotovelada, joelhada (ex: Heyan Yondan), chutes traumáticos contra as pernas (ex: Basai Dai), dedo nos olhos (ex: Chin Te), torções (ex: Kanku Sho), quedas (ex: Meykyo) e técnicas para se livrar quando agarrado (ex: Heyan Shodan), além de defesas contra bastões ou pedaços de pau (ex: Ji Te), além de muitas outras variações nas aplicações.
Quando se vê isso em competições? E mesmo nos treinos dentro das academias? Quando se vê treinos de chaves, torções, joelhadas, cotoveladas, etc...
Até tem, mas é raro.
O objetivo do Shotokan é a luta, o combate, o confronto. Seja no jyu kumite (dentro da academia), no shiai kumite (competições), ou defesa pessoal.
Por isso no Tradicional e na JKA, é muito comum vermos atletas bons em kata e kumite (Chinzô Machida, Wagner Pereira, Alecsandro Jobson e até o próprio Lyoto, que antes de ir lutar mma, foi campeão brasileiro de kata, tanto no Tradicionl quanto na JKA).
Na minha opinião, essa é a essência do lutador de Shotokan.
OSS.

Um comentário:

Luiz Fernando Xavier disse...

Bacana seu post.. estava justamente procurando entender pra que isso servia, porque na academia que treino kickboxing tem treinos de karatê um pouco antes e sempre via o pessoal fazendo isso.. nunca treinei karatê, mas concordo quando você diz que da maneira como é feito, tende mais a desestimular do que o contrário..